Ação solidária para trocar lacres por uma cadeira de rodas – 35 Grupo de Escoteiros de São Paulo Corrente – SP

Ação para lacres de refrigerante - GE

Ação para lacres de refrigerante – GE

Há algum tempo se falou que a troca dos lacres das latinhas de alumínio por cadeiras de rodas era “lenda urbana”. Diziam que os lacres só serviriam para a produção de bolsas, vestidos, etc.

Foi então que algumas empresas recicladoras de alumínio resolveram dar suporte a campanhas, como forma de gerar a consciência coletiva em relação à reciclagem e, de lambuja, ajudar pessoas com dificuldades de locomoção.

Muitos ainda perguntam se não seria mais fácil reciclar toda a latinha pois a quantidade de latas necessárias para se atingir o valor é muito menor que a quantidade de lacres.

A grosso modo eles têm razão. Porém há duas razões básicas para se preferir o lacre.

Primeiro, o manuseio do lacre é mais simples, pois a lata, para não ocupar muito espaço, deve ser amassada e normalmente se precisa de um amassador de latas para isso e, mesmo assim, 30.000 lacres cabem em 10 garrafas pets que podem ser facilmente armazenadas em casa e equivalem a quase 1.000 latas de alumínio. Já experimentou guardar 1.000 latas de alumínio em casa?

E, em segundo lugar, a mais pura verdade é que o alumínio é um metal precioso e muitos recicladores dependem da reciclagem das latinhas para sua sobrevivência. Como estamos somente requisitando os lacres, não estamos interferindo no processo de reciclagem do alumínio e todos têm um grande aproveitamento em toda cadeia. Além disso, a liga de alumínio do lacre tem teor de magnésio maior que a da latinha. Dessa forma, separando o lacre evita-se que a mistura dos dois tipos de alumínio contamine o alumínio reciclado.

Para a troca são necessárias 100 garrafas pet de 2 litros cheias de lacres para cada cadeira de rodas. É um número elevado, mas se fosse fácil não seria necessária nossa campanha, tão pouco essa mobilização que estamos fazendo.

* Informação retirada do site LACRE, AMIGO .

Bem… sendo assim, resolvi colaborar com o 35 Grupo de Escoteiros Corrente (SP) afinal.. tenho também que dar exemplo de solidariedade para o meu filho “Lobinho”.

Resolvi utilizar esta garrafa pet reciclável, uma cadeira de rodas que foi projetada pela Débora Vieira (que agradeço muito pela liberação do arquivo!) e fiz o logo do grupo cortado em vinil.

Quis montar algo que ficasse simpático, que não ocupasse espaço, que chamasse a atenção e que ao observar, falasse por si só.

“Ajudar faz bem ao coração!”

Anúncios